Partilha do Encontro Internacional da Juventude Dominicana: Relatos dos participantes brasileiros

Do dia 16 a 21 de julho de 2016, em Tolouse, na França, foi realizado o Encontro Internacional do Movimento Juvenil Dominicano (MJD), reunindo cerca de 140 jovens dominicanas e dominicanos de 26 países. O Encontro marcou também a participação da juventude na celebração dos 800 anos da Ordem dos Pregadores.

O evento, organizado pela equipe de trabalho da Coordenação Internacional do MJD, conhecida como InternationalDominicanYouthMovement (IDYM), contou com atividades formativas, culturais, de espiritualidade e até mesmo com uma peregrinação que percorreu alguns dos trajetos por onde São Domingos passou – caminho intitulado de Passos de São Domingos. Ao fim da programação foi realizada a assembleia eletiva que definiu, democraticamente, os integrantes da próxima equipe de coordenação do IDYM, que assumirá o posto de trabalho a partir de 2017.

O Brasil foi representado oficialmente pela companheira Lívia Alfonsi, que mora em São Bernardo do Campo (SP) e integra o MJD em São Paulo (SP). Também participaram do evento os brasileiros Leonardo De Laquila, promotor internacional de Missão e Caridade do IDYM, e frei Mariano Foralossso, OP, assessor nacional do MJD no Brasil. Confira, abaixo, relatos destes participantes sobre as experiências vividas na França.

IDYM 2016

Partilhas dos participantes

‘’140 participantes de 26 países. Se o encontro internacional da juventude dominicana fosse expresso por esses números, creio que não seria o suficiente. Julho de 2016, ano comemorativo dos 800 anos da Ordem, resolvemos comemorar em assembleia junto às nossas raízes históricas. Fanjeaux, Pruilla, Montreal, Carcassone e Toulouse; lugares que além transpirar dominicanismo, nos acolheram de uma forma maravilhosa. Particularmente partilho uma experiência particularmente especial. Em pleno Domingo do Senhor estávamos juntos às Monjas de Pruilla.  Fomos convidados pela Priora do monastério, a irmã Jean Baptiste, a cantar o Salve Regina no claustro do convento. Momento mágico no berço da Ordem. Fiquei imaginando quantas histórias foram escritas naquele pedaço de terra, oito séculos de orações incessantes. Agora éramos nós participando dessa história. Quando entramos no claustro, um grande silêncio tomou conta dos nossos corações. Olhares apreensivos que foram rapidamente afetados pelo Hino das comemorações do jubileu dominicano. Laudare, Benedicere, Praedicare… a música tomou conta do grupo e marcou o ritmo dos nossos passos. Entramos no claustro formando duas filas e nos encaminhamos para o pátio do convento para dentro do mistério e em frente aos olhos de uma belíssima imagem de N. Senhora. Silêncio, ela olhava para nós e nós para ela. Salve Regina Dominicana, a oração cantada que mais me encanta sendo entoada em uma grande monofonia. Uma massa de vozes de culturas tão distintas afinada em unidade. Deus é bom e adora nos envolver em sua beleza!’’

 Leonardo De Laquila, 35 anos // Promotor Internacional de Missão e Caridade do IDYM

‘’Essa foi minha primeira experiência no Encontro Internacional. E foi uma experiência intensa. Intensa de trabalho, intensa de oração e partilha. Poder viver tão próximo durante uma semana de pessoas de culturas e línguas diferentes e saber que temos um mesmo ideal, é fascinante.

 O que mais me marcou foi visitar o Monastério de Pouille. As monjas, as mulheres que São Domingos pensou primeiro. Mulheres fortes e inteligentes. Me inspiraram durante o Encontro e seguem me inspirando.’’

Lívia Essi Alfonsi, 25 anos // Coordenadora e integrante do MJD em São Paulo (SP)

 

 

 

Semana Dominicana: Testemunho de vida e diálogo

Por ocasião do dia de São Domingos e do Jubileu de 800 anos da Ordem dos Pregadores trazemos aqui o segundo texto da série #SemanaDominicana, que nos apresenta uma sequência de reflexões sobre temas importantes da espiritualidade dominicana. Hoje vamos conhecer um pouco sobre como São Domingos se relacionava com os hereges e o que ele fazia para combater a ”heresia”.

Esses textos trazem parte das fontes dominicanas e foram produzidos pelo promotor de missão e caridade do IDYM, Leonardo De Laquila, e pelo Frei Mariano Foralosso, assessor do MJD-BR, por ocasião do encontro internacional do YDIM. Jovens dominicanos do mundo todo tiveram a oportunidade de rezar esses temas enquanto peregrinavam pelos caminhos por onde Domingos passou oitocentos anos atrás.

SerieSDomingos-postFB-02

Testemunho de vida e diálogo

A vida de São Domingos, sua missão de pregador e a própria fundação da Ordem foram profundamente marcadas pelo ‘encontro’ com o desafio e os apelos do Catarismo. Para contrapor as doutrinas erradas desta heresia, Domingos se entregou totalmente à pregação itinerante. Para dar resposta adequada aos questionamentos doutrinais e morais dos hereges, ele colocou o estudo como um dos pilares fundamentais da vida dominicana. Para convencer e levar os hereges à conversão pelo exemplo de vida, pela força da palavra e pelo diálogo, mais do que pela violência e a coerção, Domingos se converteu ao seguimento radical de Cristo, tornando-se “um homem plenamente evangélico que em tudo seguiu os passo do seu Senhor.” Neste sentido ele representa para nós um exemplo do respeito das ideias e da consciência dos outros e do diálogo religioso.

Frei Domingos mostrava-se afável para com todos, ricos e pobres, judeus e gentios. Era amado por todos, exceto pelos hereges e inimigos da Igreja, que ele questionava, procurando convencê-los com suas pregações e disputas. Ele ouviu dizer e também viu pessoalmente que sempre os tratava com caridade, os exortava e os induzia a fazerem penitência e a se converterem à verdadeira fé. (Fonte, B. Jordão, Libellus, n. 27)

Foi promovida, em certa ocasião, uma controvérsia geral contra os hereges, à qual o bispo local queria assistir com o cortejo faustoso e grande magnificência. Mas o bem-aventurado Domingos lhe disse: Assim não, pai, não é assim que devemos sair contra eles. Os hereges hão de se convencer mais com a humildade e outros exemplos de virtude do que com aparências exteriores e argumentos de palavras. Armemo-nos, pois, com fervorosas orações e, dando mostras de verdadeira humildade, saiamos com os pés descalços a lutar contra Golias.

O bispo acreditou no homem de Deus e, deixando as ricas cavalgaduras, saíram descalços. O local marcado para o debate estava bastante longe. Depois de terem andado muito começaram a duvidar se fosse aquele o caminho certo, e para se assegurarem perguntaram a um homem que julgaram católico, mas que na realidade era herege. Sim, senhores – disse ele – ensinar-vos-ei com bom gosto o caminho e com prazer vos acompanharei até o local. E ele, maliciosamente, conduziu-os por certo atalho cheio de espinhos e ramos cortantes que lhe cobriam os pés e as pernas de sangue. O homem de Deus, sofrendo tudo isso com paciência e louvando o Senhor, exortava a todos a glorificar a Deus, dizendo: Caríssimos, confiai no Senhor que a vitória será nossa, pois os nossos pecados foram purgados com sangue. Aquele herege, dando-se conta da sua admirável e risonha paciência e comovido com aquelas palavras, confessou a sua perversa intenção e abjurou a heresia. Ao chegarem ao local tudo correu favoravelmente para eles. (Fonte: Vitae Fratrum, parte II, cap. 2)

Reconhecendo a glória de Deus em nossas vidas.

  • Quais coisas Deus nos permitiu construir para o seu Reino?
  • Quais são as atividades que desenvolvemos enquanto MJD ou jovem cristão ? E que mais gosto de realizar?

–\\–

Ficha técnicaTextos: Frei Mariano Foralosso, op, e Leonardo De Laquila | Imagem: Bruno Alface | Ilustração: Leonardo De Laquila | Organização: Victor Alarcon, Mariana Bongiorno e Bruno Alface

Semana Dominicana: Oração e vida contemplativa de São Domingos

Por ocasião do dia de São Domingos e do Jubileu de 800 anos da Ordem dos Pregadores trazemos aqui o segundo texto da série #SemanaDominicana, que nos apresenta uma sequência de reflexões sobre temas importantes da espiritualidade dominicana. Hoje, vamos conhecer um pouco sobre como São Domingos rezava e como sua oração se relacionava com sua ação.

Os textos dessa série trazem citações das fontes dominicanas e foram produzidos pelo promotor de missão e caridade do IDYM, Leonardo De Laquila, e pelo Frei Mariano Foralosso, assessor do MJD-BR, por ocasião do encontro internacional do YDIM. Jovens dominicanos do mundo todo tiveram a oportunidade de rezar esses temas enquanto peregrinavam pelos caminhos por onde Domingos passou oitocentos anos atrás.

SerieSDomingos-postFB2-02

Oração e vida contemplativa de São Domingos

São Domingos teve uma existência muito ativa, de muitas viagens e muitos contatos com as pessoas, de incansáveis andanças apostólicas pelas regiões do sul da França e pela Europa toda. O ‘carisma’, o projeto de vida que ele vivenciou e transmitiu aos seus seguidores é essencialmente apostólico: tudo em função da missão, tudo para a pregação! Mas ao mesmo tempo ele foi um grande contemplativo, homem de oração e de comunhão profunda com Deus. Santo Tomás de Aquino sintetiza o projeto de vida de São Domingos e dos membros da Família Dominicana no binômio ‘contemplação e ação’: contemplação na ação e para a ação. As testemunhas das fontes dominicana, de maneira especial daqueles que conheceram e conviveram com Domingos, são unânimes em relatar isso.

Com muita frequência costumava pernoitar nas igrejas, tanto que nunca ou raramente parecia ter tido um leito para repousar. Rezava assim durante a noite e perseverava vigiando, na medida em que conseguia exigir da fraqueza do corpo. E quando, afinal, acumulando-se o cansaço e afrouxando o espírito, a necessidade de sono gritava mais alto, encostando a cabeça no altar ou em outro lugar qualquer, ou sobre uma pedra, como o patriarca Jacó (Gen. 28,11), descansava um pouquinho e logo recuperava a força do espírito e o fervor da oração.
(Fonte: B. Jordão, Libellus, n. 106)

Depois de olhar para a relação que São Domingos tinha com Deus, você agora é convidado a observar a sua vida e a refletir sobre sua relação com Deus e com o próximo.

  • Quais são os pontos frágeis na sua relação com Deus? Como fortalecer essa relação?
  • Quais são seus pontos frágeis na sua relação com as pessoas próximas?
  • Como a sua relação com Deus afeta sua relação com as pessoas?

–\\–

Ficha técnicaTextos: Frei Mariano Foralosso, op, e Leonardo De Laquila | Imagem: Bruno Alface | Ilustração: Leonardo De Laquila | Organização: Victor Alarcon, Mariana Bongiorno e Bruno Alface

Semana Dominicana: Itinerância apostólica

Hoje, 8 de agosto de 2016, celebramos o dia de São Domingos no ano do Jubileu de 800 anos da Ordem dos Pregadores. Para celebrar esse momento único, iniciamos hoje uma série de publicações que vão nos guiar através de uma sequência de reflexões sobre temas importantes na vida de São Domingos e na espiritualidade dominicana. Hoje, vamos conhecer um pouco sobre a itinerância de São Domingos e depois refletir sobre como está nossa relação com Deus.

Os textos da série trazem parte das fontes dominicanas e foram produzidos pelo promotor de missão e caridade do Movimento Juvenil Dominicano Internacional, Leonardo De Laquila, e pelo Frei Mariano Foralosso, op, assessor do MJD-BR, por ocasião do encontro internacional do MJD. Jovens dominicanos de todo o mundo tiveram a oportunidade de rezar esses temas enquanto peregrinavam pelos caminhos por onde Domingos passou, oitocentos anos atrás.

Post-DiadeSDomingos-01

Itinerância apostólica de Domingos

São Domingos foi um incansável caminhador. A partir da primeira viagem para a Dinamarca, sua vida apostólica foi um contínuo andar nas regiões do sul da França e na Europa toda. Naquela época não existiam carros, nem trens ou aviões. Os ricos viajavam de cavalo e carroça. Os pobres andavam a pé. Também Domingos andava sempre a pé. Muitas vezes caminhava descalço, para praticar e testemunhar a pobreza evangélica. O estilo humilde e despojado com que se apresentava nos povoados e nas cidades, já era uma pregação. Vivia pedindo esmola e se hospedava onde encontrasse acolhida. Esse estilo itinerante lhe permitia encontrar as pessoas mais de perto, dialogar com elas, partilhar suas dores e suas alegrias, pregar-lhes a Palavra de Deus nas casas, nas igrejas e nas praças. Como Cristo, podia assim se fazer próximo e solidário com os irmãos que encontrava no seu caminho. As longas andanças pelos caminhos, no meio da natureza lhe proporcionavam também tempos longos de silêncio, de oração, de união com Deus. Os relatos das Fontes dominicanas são muito ricos de informações sobre São Domingos ‘andarilho’ do Evangelho.

Era este seu entretenimento quando viajava: ocupar todo o tempo em orações e meditações, exceto quando rezava o Ofício divino ou conversava de alguma coisa útil com os seus companheiros, o que costumava fazer sempre, e exortava os seus companheiros a fazerem o mesmo. Caminhava frequentemente separado dos frades. E nas viagens cantava frequentemente o hino Iesus, nostra redemptio (Jesus nossa redenção), ou a antífona Salve Regina . Tendo a sua alma sempre absorta em meditações e o seu coração inundado em mares de doçura, enganava-se muitas vezes no caminho e perdia de vista os frades. No entanto, nunca ninguém o viu perturbado por ter perdido o caminho, nem culpava disso os seus companheiros. Pelo contrário, vendo-os perturbados por andarem ansiosamente à sua procura, confortava-os dizendo: Não vos preocupeis, por todas as partes pode-se chegar ao céu! (Fonte: Vitae Fratrum, parte II, cap. VII)

Depois de olhar para a forma como São Domingos via alguns elementos do mundo, você é convidado a refletir um pouco sobre o seu compromisso com a missão que Deus te dá.

  • Como está minha relação com Deus?
  • Minha relação com Ele reflete em uma melhor relação com o próximo?
  • Como está o meu apostolado?

–\\–

Ficha técnicaTextos: Frei Mariano Foralosso, op, e Leonardo De Laquila | Imagem: Bruno Alface | Ilustração: Leonardo De Laquila | Organização: Victor Alarcon, Mariana Bongiorno e Bruno Alface

Jovens de Porto Nacional (TO) renovam compromisso com o Movimento Juvenil Dominicano

por Bruna Alfonsi

Jovens do #MJDPorto

No primeiro domingo deste mês, 3 de agosto, nossos irmãos do grupo de Porto Nacional (TO) realizaram a renovação de seus votos de compromisso de caminhada no Movimento Juvenil Dominicano do Brasil (MJD-BR). Luciana, Salomão e Giovanna, que já faziam parte do grupo, e as Irmãs Dominicanas De Monteils, Luana, Daniele e Danize, que carinhosamente os acompanham, acolheram uma nova integrante, Laídes.

“O MJD tem me ajudado a ser uma pessoa melhor. Conheci o grupo e notei algo diferente. As pessoas buscam e querem estar mais próximas de Deus. Vejo a preocupação dos jovens em viver no amor, na oração e no empenho de levar o evangelho de Jesus ao mundo, em especial às pessoas que perderam suas esperanças, que estão desacreditadas. Não podemos desviar o olhar dos que mais precisam, dos que sofrem e que têm sede de Deus. Tenho vivenciado isso no MJD e estou adorando participar, agora como postulante” – nos conta Laídes.

Agradecemos a Deus por mais este momento e pedimos que continue fortalecendo nossa missão! Tamo junto, MJD Porto!

IMG_0534 IMG_0555

MJD Brasil participa do Encontro Internacional do Movimento Juvenil Dominicano

da redação do blog

Do dia 16 a 21 de julho, em Tolouse, na França, acontece o Encontro Internacional do Movimento Juvenil Dominicano (MJD), reunindo jovens dominicanas e dominicanos de todo o mundo. O Encontro marca também a participação da juventude na celebração dos 800 anos da Ordem dos Pregadores.

O evento, organizado pela equipe de trabalho da Coordenação Internacional do MJD, conhecida como International Dominican Youth Movement (IDYM), contará com atividades formativas, culturais e de espiritualidade. Ao fim da programação será realizada a assembleia eletiva que definirá, democraticamente, os integrantes da próxima equipe de coordenação do IDYM.

O Brasil está sendo representado oficialmente pela companheira Lívia Alfonsi, que mora em São Bernardo do Campo (SP) e integra o MJD em São Paulo. Também participam do evento os brasileiros Leonardo De Laquila, promotor internacional de Missão e Caridade do IDYM, e frei Mariano Foralossso, OP, assessor nacional do MJD no Brasil.

WhatsApp-Image-20160714 (1)

Leonardo, Lívia e frei Mariano, op

O MJD Brasil está em unidade com nossas irmãs e nossos irmãos dominicanos reunidos na França.

Inscrições Abertas: 27º Encontro da Comissão Dominicana de Justiça e Paz

“Nesta Encíclica,
pretendo especialmente entrar em diálogo com todos
acerca da nossa casa comum” (Papa Francisco, Laudato Si’, nº 3).

Goiânia, 05 de julho de 2016.

Foto oficial do Encontro da Comissão Dominicana de Justiça e Paz em 2015

Foto oficial do Encontro da Comissão Dominicana de Justiça e Paz em 2015

Querido irmão,
Querida irmã da
Família Dominicana do Brasil

Saudamos-lhe com o nosso desejo de muita Paz e muita Saúde. Apesar de estarmos vivendo em tempos difíceis, é muito atual o pedido de Paulo VI no final de seu discurso de encerramento do Concílio Ecumênico Vaticano II: “em vez de diagnósticos desalentadores, demos ao mundo remédios cheios de esperança”. Nossa missão, enquanto Comissão Dominicana de Justiça e Paz do Brasil é participar da construção e do testemunho desses “remédios cheios de esperança”.

É com a compreensão de que precisamos viver na perspectiva do verbo esperançar e não do verbo esperar que convidamos você para o nosso 27º Encontro da COMISSÃO DOMINICANA DE JUSTIÇA E PAZ DO BRASIL que será nos dias 12 e 13 de novembro próximo – sábado e domingo, iniciando com o café às 7:30 h e concluindo, com o lanche, às 16 h.

O Encontro será no INSTITUTO SÃO FRANCISCO, Rua 228, nº 36, Setor Coimbra – ao lado da Praça Walter Santos, no Setor Coimbra – em Goiânia – telefone: 62 – 3291 6463. As dicas para se chegar nesse local são: a) partindo da Rodoviária: ônibus: 401, Circular, na Av. Independência em direção à Praça “A”. Descer nessa Praça e caminhar duas quadras até a Praça Walter Santos, ao lado está o Instituto São Francisco; ou táxi no valor aproximado de R$25,00. b) Saindo do Aeroporto: valor aproximado de táxi: R$ 50,00.

O tema de nosso Encontro/estudo/confraternização/celebração será Ecologia Integral: desafios e perspectivas e contará com a assessoria de Moema Miranda, residente no Rio de Janeiro, coordenadora de debates “Diálogo entre os Povos – Uma articulação Sul-Sul”, com a participação de entidades e redes da América Latina e da África e atua em vários campos de pesquisa e articulação com movimentos sociais. É diretora do IBASE e participou do Comitê Facilitador da Sociedade Civil Brasileira para a Rio+20. É antropóloga, com mestrado e pós-graduação em Antropologia Social.

Daremos continuidade à prática solidária do rateio, por isso, o valor individual será 400,00 (o mesmo do ano anterior) incluindo a taxa de hospedagem, alimentação e o “rateio” para as passagens. Lembramos que o rateio das passagens terá como base as passagens de ônibus, exceto leito. As passagens de avião serão consideradas no máximo até o valor das passagens de ônibus, exceto leito de cada lugar. Cada participante deverá entregar no início do Encontro as passagens de vinda e volta; isso facilitará muito os cálculos para o rateio. Quem quiser ir depositando parcialmente a cada mês, os dados bancários são:

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL (ou Casas Lotéricas), Agência: 1340. Operação: 013. Conta Poupança: 00019405-4, em nome do Instituto Antônio Montesino/Encontros.

Contamos com sua participação e, mais: multiplique esse convite a outras pessoas da caminhada, incluindo as pessoas “das primeiras horas” e a turma mais jovem de nossa Comissão. Esse convite é para a sua participação em tempo integral. Já foi opção dos/as próprios/as participantes concentrar o Encontro em apenas 2 dias; por isso, precisamos ser pontuais e objetivos.

Algumas observações importantes:

1ª) A Casa de Encontro estará disponível para receber quem precisar chegar na véspera, a partir do jantar da 6ª feira, na condição de que avisem com antecedência; isso acarretará aumento no valor da hospedagem.

2ª) Haverá a Assembleia Anual dos membros do Instituto Dominicano de Justiça e Paz do Brasil “Frei Antonio Montesino, a tarde do dia 12, em horário a ser estipulado.

Por favor, preencha e devolva a ficha abaixo até o dia 30 de setembro próximo.

> Clique aqui para baixar a ficha de inscrição do Encontro.

Fraternalmente,
Irmã Maria Madalena dos Santos
Coordenadora da Comissão Dominicana de Justiça e Paz do Brasil

Inscrições abertas para o IV Encontro Nacional do MJD

Com muita alegria o MJD abre as inscrições para o seu IV Encontro Nacional de jovens dominicanos. Dessa vez o encontro será em Curitiba (PR), no colégio Nossa Senhora do Rosário, de 21 a 24 de abril, incorporando a celebração de 800 anos de histórias da Ordem dos Pregadores – o nosso Jubileu Dominicano. Ao final do encontro, também celebraremos a renovação de compromisso dos companheiros do MJD-Curitiba.

INSCRICOES ABERTAS EN 2016-01-01

Mas, por que um encontro de jovens para celebrar o Jubileu?

São séculos ininterruptos de serviços de um grupo de amigos, uma verdadeira família de São Domingos, que no espírito apostólico dos primeiros cristãos, entregaram e ainda entregam, as suas vidas ao anúncio da Boa Nova de Jesus Cristo:  

“O Espírito do Senhor está sobre mim, porque Ele me consagrou com a unção, para anunciar a Boa Notícia aos pobres; enviou-me para proclamar a libertação aos presos e aos cegos a recuperação da vista; para libertar os oprimidos, e para proclamar um ano de graça do Senhor.»

Lucas 4,18

Muitas pessoas contribuíram e outras tantas ainda contribuem na reflexão e aprofundamento dos caminhos tomados pela Igreja, sejam eles catequéticos, filosóficos, teológicos, espirituais, políticos.  Personagens que por toda história da humanidade, inflamados e decididos pelo apostolado de Jesus, se põem a serviço do Reino.

Hoje, nós jovens também somos convidados a participar dessa história. Não como meros expectadores, mas como agentes de transformação de nossas realidades, segundo as nossas capacidades. Como frequentadores assíduos da realidade do anúncio da Boa Nova, devemos tomar parte de nossa responsabilidade de pregadoras e pregadores dos sonhos de Jesus. E como dominicanos, fazemos isso a maneira de São Domingos, que buscava se tornar “como um outro Cristo”. Unindo-se a nosso padroeiro, também queremos tornar possível o Reino de Deus aqui e agora. Por vezes, nos sentimos pequenos diante de tamanho desafio. Mas quando em família, apoiados por uma tradição de 800 anos, percebemos que muito daquilo para que somos desafiados, já foi encarado em algum momento da vida da Ordem. Assim devemos olhar para o futuro sem tirar os pés de nossa tradição e perceber que a juventude, estágio temporário da vida, pode ajudar a contextualizar a nossa herança. Devemos então nos questionar sobre o nosso papel pessoal junto a Ordem, para assumirmos de fato a nossa parte da pregação.

Como participar do Encontro Nacional?

As inscrições serão feitas através do formulário online, disponível clicando aqui.

O valor de R$60,00, referente à taxa de inscrição, deve ser depositado ou transferido para a conta-corrente abaixo. Caso você não possa pagar antecipadamente, aceitaremos o pagamento durante o Encontro.

Banco Itaú

Agência: 6200

Conta Corrente: 04068-8

Em nome de Bruna Essi Alfonsi

*Aviso: Teremos lojinha MJD durante o encontro, portanto, venha preparado.

Inscrições abertas para a Peregrinação Dominicana

O Movimento Juvenil Dominicano do Brasil vai comemorar os 800 anos de histórias da Ordem dos Pregadores buscando alcançar um grande objetivo: promover encontros entre familiares para nos motivar a continuar lutando por um mundo mais humano, a continuar buscando a construção do Reino de Deus.

Um desses espaços será a PEREGRINAÇÃO DOMINICANA, que acontece de 25 a 28 de maio de Campos do Jordão (SP) a Aparecida do Norte (SP). Trata-se de uma caminhada de fé partilhada e percorrida por pessoas que aceitam o desafio de exercitar a oração, a vida em comunidade, o despojamento e também a prática esportiva por alguns dias.

Inspirado no milenar Caminho de Santiago de Compostela (Espanha), O Caminho da Fé (Brasil) foi criado para dar estrutura às pessoas que sempre fizeram peregrinação ao Santuário Nacional de Aparecida, oferecendo-lhes os necessários pontos de apoio. Ao menos uma vez por ano os jovens do MJD Brasil saem em peregrinação para percorrer parte desse percurso.

peregrinacao-dominicana-02

Quem vai participar?

Nós, você e quem mais quiser celebrar o Jubileu de 800 anos de caminhadas da Ordem dos Pregadores. Todas as faixas etárias estão convidadas! Leigas, Leigos, irmãs, frades e amigas(os) da Família Dominicana. Será uma grande celebração da vida rumo à Aparecida do Norte.

Passo a passo para se inscrever:

1º passo:
Preencher o formulário clicando aqui.

*Somente o preenchimento do formulário não garante a vaga. É necessário seguir os passos seguintes para estar devidamente inscrito*

2º passo: 
Depositar (ou transferir) o valor da taxa de inscrição referente a opção de trajeto que você escolher fazer (dá direito a hospedagem nas pousadas, transporte e a camiseta oficial da Peregrinação Dominicana).

Dados bancários:
Banco Itaú
Agência: 6200
Conta Corrente: 04068-8
Em nome de Bruna Essi Alfonsi

*Caso você necessite parcelar o pagamento ou verificar alternativas financeiras para participar, por favor entre em contato conosco através do mjddobrasil@gmail.com

Opções de trajeto:

Opção 1 | Trecho completo De Campos do Jordão à Aparecida –  Com as opções de saída de São Paulo no dia 25/05 a noite ou de encontrar o grupo em Campos do Jordão também dia 25/05 a noite | Custo: R$ 245,00

Opção 2 | Saída de Mandú | Encontro com o grupo no dia 26/05 a noite. 52 km de caminhada | Custo: R$ 168,00

Opção 3 | Saída de Pindamonhangaba | Encontro com o grupo no dia 27/05 a noite. 17km de caminhada | Custo: R$ 90,00

Opção 4 | Chegada a Aparecida | Encontro com o grupo no dia 28/05 no início da tarde |
Custo: R$ 48,00

3º passo:
Enviar comprovante de depósito por e-mail para mjddobrasil@gmail.com. O comprovante pode ser escaneado ou fotografado, só é obrigatório que esteja em qualidade suficiente para dar leitura.

Para quem já se inscreveu, segue uma lista do que levar: 

– Documento (o R.G. basta). Quem não estiver com o documento, não irá;
– Autorização dos pais ou responsáveis, caso seja menor de idade. Pode ser feita à mão;
– R$ 120,00 para alimentação e outros possíveis gastos. Se puder levar um pouco mais, leve, e se possível, dinheiro trocado;
– A credencial do peregrino para os que tiverem. Quem não tem, é só fazer uma (até a última Caminhada custava R$ 5,00);
– Uma mochila confortável, de preferência que tenha correia peitoral e de cintura. Se não tiver, esses acessórios podem ser comprados a parte em lojas especializadas;
– 2 mudas de roupa mais a da corpo (observem a previsão do tempo e optem por calças ou bermudas, e blusa);
– Roupas íntimas;
– Chapéu ou boné;
– 1 capa de chuva de plástico;
– 6 pares de meia;
– 1 rolo de esparadrapo;
– Pomada Hipoglos;
– 2 fraldas de pano;
– 1 frasco pequeno com shampoo;
– 1 sabonete;
– Pomada de dor;
– 1 par de chinelo;
– Protetor solar;
– Frutas secas e barrinhas de cereais, em uma quantidade suficiente para os dias da caminhada, para comer durante o caminho;
– Um cantil ou garrafa para levar água. De 500 ml a 1L;
– Tênis confortável que já esteja adaptado aos pés.

Lembramos que é muito importante o treino para a caminhada, tanto para acostumar o corpo, como para acostumar o tênis. Além disso, consumam água e se alimentem com alimentos leves em quantidades necessárias.

Nas edições anteriores de nossa caminhada costumamos fazer um programa de treinamento, com dicas de alongamento, respiração e alimentação. Para acessar, clique aqui.

Dúvidas? Escreva para mjddobrasil@gmail.com.

 

 

Mulheres do MJD: Natália Ruiz

por Natália Ruiz*

Sinto que ser mulher dentro da Igreja, assim como fora dela, é lutar todos os dias por nosso espaço e por nossa voz. Questionando valores arraigados em nós desde o nascimento.

Leiam esse trecho sobre o feminismo dentro da Igreja:

“O feminismo também entrou nas igrejas. As mulheres emergem em voz e em visibilidade, questionando uma prática, uma instituição, uma linguagem, e uma teologia. Não significa que antes não estivessem presentes. Ao contrário, sempre estiveram presentes na vida da Igreja, mas sua presença era tida como auxiliar, e não como pessoa com cidadania plena. Com a nova consciência, as mulheres se articularam coletivamente em caminhos de transformação, em todas as instâncias práticas e da construção do saber”. (Introdução da Tese de Doutorado: Inculturação da Fé no Contexto do Feminismo de Gloria Josefina Viero).

post mjd mulheres_NATI-05

*Natália Ruiz de Oliveira, 26 anos, é oceanógrafa e trabalha com oceanografia social atuando em comunidades tradicionais do litoral.