Vestibular 2013 e novidades na EDT

As incrições para o vestibular 2013 da Escola Dominicana de Teologia de São Paulo, SP, já estão abertas!

Saiba mais:

#MJDBR

Image

#MJDBR

A novidade é que a EDT também está disponibilizando o aluguel das salas e do auditório do seu estabelecimento.

Vale a pena saber mais sobre a infra-estrutura do local:

 #MJDBR
Image

 

#MJDBR

Conheça também a nova página da EDT no facebook: http://www.facebook.com/pages/Escola-Dominicana-de-Teologia-EDT/419086614807965?fref=ts

mjdbr

Anúncios

Solidariedade aos GUARANI-KAIOWÁ

COMUNICADO DO COMITÊ INTERNACIONAL DE SOLIDARIEDADE AO POVO GUARANI-KAIOWÁ:

#mjdbr

Image

#mjdbr

SOLIDARIEDADE AO POVO GUARANI KAIOWÁ

VEJA COMO CONTRIBUIR COM A RESISTENCIA DESTE POVO:

Você pode contribuir da seguinte forma:

►divulgar o blog do comitê: www.solidariedadeguaranikaiowa.wordpress.com

►divulgar e curtir nossa página no facebook: https://www.facebook.com/SolidariedadeAoPovoGuaraniKaiowa

►divulgar nossos cartazes e videos pelo facebook, organizar palestras e atividades proximo de sua casa, na escola, na faculdade, pode realizar eventos beneficentes, como almoços, teatro, mostra de cinema, show de cantores, sarau, para arrecadação de fundos para as aldeias e pode também participar da campanha de arrecadação de alimentos e livros e ou sugerir outra forma de contribuir.

►Se vc mora em São Paulo, pode encaminhar os alimentos arrecadados em um dos endereços de ponto de arrecadação divulgado no blog, tem 2 na USP, cidade universitária e um em perdizes, na APROPUC, ao lado da PUC-SP.

►Se vc mora em outra cidade, terá que nos informar a quantidade e a cidade pra tentarmos retirar.

►Se morar fora da Grande São Paulo, deve buscar ajuda em algum sindicato ou outra organização para enviar até Dourados, lá o ponto de arrecadação é o DCE da UFGD.

►Para Doações em dinheiro entre em contato pelo e-mail solidariedadeguaranikaiowa@gmail.com

#mjdbr
Para entender melhor os recentes acontecimentos:
#mjdbr
#mjdbr
#mjdbr
Petição a ser enviada ao Congresso:
#mjdbr

E o #MJDBR virou notícia!

Conforme divulgamos pelos nossos canais, o MJD de Santa Cruz do Rio Pardo realizou, no último dia 14/10, um dia de atividades com as crianças e jovens do Centro Social ”Lar Frei Chico”.

O evento rendeu até reportagem em um jornal local, confiram 😉

#mjdbr

Image

#mjdbr

Pela primeira vez o Movimento Juvenil Dominicano do Brasil é pauta de reportagem em veículo fora da Ordem dos Pregadores. Parabéns aos jovens de Santa Cruz!

Em breve em nosso blog publicaremos os relatos dos jovens de Santa Cruz sobre esse dia. 

#MJDBR

12 de outubro

Hoje é dia 12 de outubro. Data em que comemoramos o Dia de Nossa Senhora Aparecida, o Dia das Crianças e o Dia Nacional da Leitura.

Hoje, na cidade de Porto Nacional, Tocantins, jovens do MJD estão realizando um dia de atividades e brincadeiras com as crianças do Acampamento Sebastião Bezerra, que na última segunda-feira perdeu aproximadamente 30 de suas casas por conta de um incêndio. Em homenagem a elas, compartilhamos essas 3 fotos que foram tiradas em nosso último espaço missionário na terra tocantinense.

Um fraterno abraço a todos e um Feliz Dia 🙂

#MJDBR

Image

#mjdbr

Para quem quiser saber mais sobre a situação do Acampamento e colaborar com doações, acesse aqui.

E para aqueles que quiserem saber mais sobre o Dia Nacional da Leitura: http://www.ecofuturo.org.br/diadaleitura 

Sobre as eleições: E agora?

Por Bruno S. Alface

#MJDBR

O dia das eleições (07/10/12) acabou para algumas cidades, aonde foram eleitos vereadores e prefeito no primeiro turno, e para outros municípios a disputa para prefeitos segue para o segundo turno.

#mjdbr

Image

Eleitores de Guarulhos, SP, “devolveram” em frente à Câmara os panfletos que receberam e colocaram faixas com os dizeres “Onde está a sustentabilidade?” e “Devolvendo o que vos pertence”. (fonte: Estadão)

               

Ufa! Isso quer dizer que só voltaremos a perder tempo com a política daqui a dois anos! Que alivio!

 

Não é bem assim…

 

Reconheço que algumas características de nossa terra tupiniquim nos fazem duvidar da famosa democracia – afinal de contas, estamos entre os quatro países mais desiguais da América Latina – entretanto, insistirei em tentar lhe convencer a também insistir com a política.

Durante essas eleições, dedicando boa parte do meu tempo em discussões políticas de diferentes lugares da cidade onde moro, percebi que existem alguns perfis de eleitores.

Parte do eleitorado pesquisa, estuda e debate as propostas e os perfis dos candidatos em suas comunidades, casas, igrejas, escolas, faculdades, clubes do Bolinha e da Luluzinha ao qual pertence, para se preparar para o dia de ontem: o dia de votar.

Sabemos também que existe um segundo perfil de eleitor, aquele que finge que faz tudo isso (finge que pesquisou, debateu e estudou a fundo as propostas dos candidatos) e também vai lá registrar seu voto. O problema que encontramos nesse segundo perfil de eleitor é que depois, durante o mandato dos representantes eleitos, ele terá de engolir os representantes que também ‘’fingem’’ que governam sua cidade.

Se você votou nulo ou em branco, gostaria de acreditar que também estudou a fundo todas as propostas e os candidatos de seu município, e que de fato, não encontrou uma saída possível. Há aqueles que anulam ou embranquecem seu voto por pura preguiça, por uma desilusão, que de fato tem o seu lugar em nosso coração eleitor hoje em dia, mas que não é desculpa para vomitar confortavelmente discursos do tipo: ‘’Nenhum deles presta’’ ou ‘’É tudo ladrão mesmo, pra que vou perder meu tempo?’’.

Esse ano me deparei com muitas correntes que pregavam o ‘’vote nulo’’, ou ainda, o não comparecimento as urnas eleitorais por meio da querida ‘’justificativa’’. Alguns destes movimentos tinham até certo embasamento, mas a meu ver, não tinham o essencial: que é uma alternativa política concreta para o ‘’não votar’’. Se vivemos em uma democracia precisamos de representantes, e se simplesmente escolhemos não escolher nossos representantes estamos dando espaço para o que? Até onde pude entender, para o nada. Ou melhor, para a velha política ocupar mais uma vez as suas cadeiras cativas. 

#mjdbr

(Fonte: Friolândia)

#mjdbr

Sendo por forma de protesto, ou mero conformismo, o fato é que as cidades de Monte Alegre, RN, e Cedro, CE, obtiveram um resultado bem particular nas eleições desse ano: pouco mais de 98% de votos nulos computados, o que pode significar até uma nova eleição com novos candidatos para as respectivas cidades, mas nada é certo ainda. Veja aqui uma reportagem sobre o assunto.

Apesar das muitas diferenças ideológicas, partidárias e das divergentes escolhas tomadas, após as eleições voltamos a ser de um só grupo: dos cidadãos. Por isso, o nosso agir político deve continuar.

Acessem aqui o site G1 e vejam quais foram os candidatos eleitos no primeiro turno de sua cidade. Gravem bem o nome deles, pois agora serão seus representantes na esfera municipal por mais quatro anos.

Isso quer dizer que eles são responsáveis pelas ações de melhoria (ou não) do transporte público que nós usamos, dos hospitais, escolas, parques, e demais espaços e recursos públicos que utilizamos ou pelo menos deveríamos poder utilizar – pois pagamos impostos. Falando nisso, são também os responsáveis pela administração dos tributos que pagamos.

Leonardo Sakamoto nos diz: “Pô, mas política é chata demais.”.

E ele mesmo responde: ‘’Mas não precisa ser assim, ela parece chata porque construíram ela dessa forma. Invente sua maneira divertida de fazer política, oras, tem muita gente fazendo isso. E, principalmente, não xingue quem está travando o bom debate. Afinal de contas, a saída para contrapor uma voz não é forçar o silêncio, mas sim outra voz. O silêncio dói, machuca. O diálogo é música. Sinto um amargo na boca quando vejo pessoas que, sob o risco de verem seus argumentos naufragarem em sua própria arrogância, tentam calar o outro.

Acesse o site da câmara municipal de sua cidade e fique por dentro dos canais de comunicação que existem para dialogarmos com nossos políticos representantes. Fique por dentro da Lei Orgânica de seu município, que é praticamente a constituição máxima que costura os pontos do legislativo em nível municipal.

Continue pesquisando, estudando, debatendo e se fazendo próximo da política e daqueles que nela trabalham. Lute, com inteligência, por uma sociedade mais justa e sensível. As ferramentas existem, só precisamos conhecê-las, aprender e, de fato, usá-las.

Já passamos do tempo de cair em qualquer papo furado, não acha? 

#mjdbr

#mjdbr

 

Solidariedade a Los Cacaos – Haiti

Nós do Movimento Juvenil Dominicano do Brasil recebemos esta carta da Comissão Dominicana de Justiça e Paz do Brasil e somos solidários a comunidade haitiana Los Cacaos.

Jovens, amigos e parceiros do #MJDBR: Leiam e espalhem essa mensagem. As informações que explicam como ajudar estão no final do texto, vamos nos mobilizar.

 Aí vai a carta:  

Los Cacaos

 

“ONDE ESTÁ SEU TESOURO, AÍ ESTARÁ TAMBÉM O SEU CORAÇÃO”

 

Caras Irmãs e Caros Irmãos da Família Dominicana do Brasil,

O povo do Haiti continua vivendo muitos sofrimentos herdados inclusive do último terremoto. Nós temos Família Dominicana no Haiti. Por isso, convocamos cada um(a) de vocês a assumir com a Comissão Dominicana de Justiça e Paz do Brasil, a Campanha de Solidariedade à comunidade Los Cacaos/Haiti, com duração prevista até o Natal deste ano.

Reconhecendo que os haitianos vivem uma realidade limite entre a vida e a morte, em razão de uma histórica violação dos direitos humanos, foi formada, em 2010, uma comunidade intercongregacional que inclui irmãs e leigos/as da família dominicana para viver, trabalhar e lutar, solidariamente, com a comunidade de Los Cacaos.  Atualmente conta com três membros, sendo: a irmã Maria Marciano, brasileira, das Dominicanas de Monteils; a irmã Simone Pace, dominicana de Santa Catarina de Sena, e a Carmen, leiga dominicana do Peru, atuando nas áreas de saúde, de educação, construção de centros comunitários e de aquedutos para distribuição de água.

Entre as várias necessidades dos moradores dessa comunidade, está a construção de um centro comunitário que será utilizado como salão de reuniões e escola. Além disso, com os recursos arrecadados também será contratado um professor local para a educação das crianças da comunidade.

los cacaos

Image 

Para apoiar o Projeto-Missão, em Los Cacaos, vocês são convidados/as:

1. a unir seus corações à comunidade de Los Cacaos. A comunhão que brota do coração é a que nos mantêm vivos para continuar na construção da Justiça e da Paz.

2. a criar, com seus irmãos, irmãs e amigos(as) seja nas comunidades, colégios, paróquias e obras sociais, um Grupo de Solidariedade à Comunidade de Los Cacaos, a fim de arrecadar recursos financeiros para apoiar a construção de um centro comunitário e a contratação de um(a) educador(a).

3. depositar o valor arrecadado na Caixa Econômica Federal, Agência 1340, Operação 003, Conta corrente: 00001549-7, em nome de Instituto AM Los Cacaos.                    

Esta Campanha é um convite e um desafio para ser respondido comunitariamente em defesa da vida. Com o pouco que temos, somos chamados(as) a apoiar generosamente a comunidade de Los Cacaos em nome da fidelidade à Jesus, que veio “para que todos tenham vida, e a tenham em abundância” (Jo. 10, 10).

los cacaos

– – – – –

los cacaos

Sugestões da Comissão Dominicana de Justiça e Paz do Brasil:

Em apoio ao desenvolvimento desta Campanha, apresentamos sugestões anexas a esta carta.

Que o Grupo de Solidariedade de maneira bem criativa e dinâmica;

1 – divulgue, imediatamente, essa Campanha no site, no boletim impresso e nas reuniões ordinárias de seu Colégio, obra social ou Paróquia.

2 – escolha – estrategicamente – um dia da semana (para os Colégios) e um final de semana (para as Paróquias) para divulgar/motivar, de maneira bem comunicativa essa Campanha, usando cartazes, fotos em data show, distribuir envelopes com carimbo da Campanha, marcando o prazo para ser devolvido, etc.

3 – motive as crianças, adolescentes e jovens dos Colégios, da Catequese e dos Grupos de Jovens a fazerem desenho, escrever bilhetes/mensagens expressando o carinho e a solidariedade do Brasil para com as mesmas gerações do Haiti. O mesmo pode ser feito com casais (dos Colégios e das Paróquias) para com os casais haitianos.

Flávio Alves Barbosa

Coordenador da Comissão Dominicana de Justiça e Paz do Brasil