Semana de São Domingos – Oração ao pai

Este é o último post da nossa série de publicações em celebração à Semana de São Domingos – que teve seu dia comemorado na quinta-feira (8/8). Nestes dias, tivemos a oportunidade de ler textos de Bento XVI, Frei Chenu e do coordenador nacional do MJD Brasil, Leonardo de Laquila.

Apesar de terem sido escritos em épocas distintas e a partir de pessoas e experiências diferentes, todos os textos se complementaram. O conteúdo que vimos esta semana no blog mostra o quão revolucionário foi e é o carisma de nosso pai São Domingos.

É nisso que devemos nos inspirar e transformar em ações no dia-a-dia da comunidade em que vivemos. Para fechar bem a semana, leiam abaixo a Oração a São Domingos.

Image

Oração ao bem-aventurado pai Domingos

Sacerdote santíssimo de Deus, confessor admirável, Bem-aventurado pai Domingos! Tu que és puro, eleito do Senhor, querido e amado por Deus com predileção. Tu que és glorioso pela vida, pela doutrina, pelos milagres! Nós nos alegramos em possuir-te por intercessor, junto ao Senhor, nosso Deus.

A ti a quem, entre todos os santos e escolhidos de Deus, consagro uma especial devoção, quero clamar, do íntimo de minha alma, neste vale de misérias. Eu te suplico, ó pai boníssimo, que socorras a minha alma pecadora, sem virtude e sem santidade, manchada que está de muitos defeitos e pecados.

Acode à minha alma culpada e triste, ó alma bendita e feliz deste homem de Deus, enriquecida pela copiosa benção da graça divina! Tu não só foste elevado ao descanso ditoso, à mansão da paz e à gloria celestial, mas quantos não foram atraídos a essa mesma bem-aventurança pelo admirável exemplo de tua vida, animados pelos teus suaves conselhos, instruídos pela tua sã doutrina, imantados por tua palavra de fogo. Sê-me pois propício, ó Bem-aventurado Domingos, e inclina os teus piedosos ouvidos à voz de minha súplica.

Minha alma pobre e indigente, em ti se refugia e prostra-se em tua presença com a maior humildade. Minha alma débil, arrasta-se penosamente aos teus pés. Minha alma agonizante, com todas as forças te suplica que te dignes, com teus poderosos méritos e a tua clemente intercessão, vivificá-la, curá-la e cumulá-la com o dom de tua benção trasbordante. Eu sei, eu tenho plena certeza que tu podes fazê-lo. De tua grande caridade, espero que o queiras. Eu confio que alcançarás quanto pedires da imensa misericórdia do Salvador.

Sem sombra de dúvida eu creio que nada te negará Jesus Cristo, teu íntimo amigo, teu amado e entre todos escolhido. Dele, que embora teu Senhor e Deus, é no entanto teu amigo, obterás tudo o que quiseres. O que poderá o amado negar a quem tanto ama? Que não retribuirá a quem tudo abandonando entregou-se a si mesmo e tudo o que é seu? Assim o cremos e eis o motivo de nosso louvor e veneração.

Desde a idade mais tenra, consagraste tua virgindade ao esposo das virgens; aformoseado pela água batismal e adornado pelo Espírito Santo, ofereceste a tua alma ao Rei dos reis, no altar do mais casto amor. Nutrido na vida cristã desde o princípio, encaminhaste teus passos para as alturas da santidade. Crescendo de virtude em virtude, avançaste sempre no caminho da perfeição. De teu corpo fizeste uma hóstia viva, santa e agradável a Deus. Instruído pela doutrina do Alto, inteiramente te consagraste ao Senhor. Tomaste resolutamente o caminho da santidade, desprendendo-te de tudo o que é temporal, para seguir o Cristo despojado, preferindo antes juntar tesouros para a vida eterna do que para a vida presente. Renunciando-te a ti mesmo, e tomando corajosamente a tua cruz, procuraste imitar os exemplos de nosso Mestre e Redentor. Devorado pelo zelo de Deus e pelo fogo do Alto, te consagraste ao serviço da vida apostólica, incitado por tua imensa caridade e obedecendo a teus anseios de perfeição evangélica, e para tão nobre fim é que fundaste a Ordem dos Pregadores, realizando assim os desígnios de Deus. Com teus gloriosos méritos e exemplos iluminaste a Santa Igreja espalhada por todo o universo. Deixando esse cárcere do corpo, subiste gloriosamente à pátria dos eleitos. Cingido com a veste da glória, estás diante do trono de Deus para interceder por nós.

Rogo-te, pois, que me ajudes a mim e a quantos me são caros. Como também a todo clero, ao povo todo a ao piedoso sexo feminino. Tu, que com tanto zelo, anelaste pela salvação do gênero humano. Entre todos os santos, és minha esperança e meu consolo, depois da Bem-aventurada Rainha das Virgens. De ti me me socorro. De ti me acerco. A teus pés me prostro.

Suplicante, invoco-te e imploro como Patrono; a ti me recomendo com devoção. Digna-te, pois, eu te peço, receber-me, guardar-me com bondade, para que, ajudado pela tua proteção, mereça alcançar a desejada graça de Deus, encontrar sua misericórdia e obter, enfim, para minha salvação, os remédios da vida presente e futura.

Alcança-me tudo isso, ó Mestre, alcança-me. Que tudo isto me seja dado, eu te suplico, ó chefe ilustre, ó glorioso pai, Bem-aventurado Domingos. Socorre-me, eu te rogo e a todos que te invocam. Sê para nós verdadeiramente Dominicus, guarda vigilante do rebanho do Senhor.

Vela sempre por nós e conduz aos que a ti se recomendaram. Corrigi-nos e, corrigidos, reconcilia-nos com Deus. Depois deste exílio, apresenta-nos jubilosos ao Senhor e ao Nosso Salvador Jesus Cristo, Filho muito amado e Altíssimo de Deus, cuja honra, louvor, glória, gozo inefável e eterna felicidade, com a gloriosa Virgem Maria e toda corte dos moradores celestes, permanecem sem fim pelos séculos dos séculos.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s