#CaminhadaOrante2014 – uma breve partilha pessoal

Olá pessoal.

Mais uma etapa da #CaminhadaOrante foi concluída no último domingo (22). Foram 20 peregrinos que caminharam aproximadamente 80 km de Inconfidentes (MG) até a cidade de Consolação (MG).

E com isso se constrói um dos momentos mais ricos, que é a partilha. Rico, pois as experiências foram ricas, e ler um pouco dessas histórias com certeza faz todos beberem de uma experiência de Deus.

10499907_676533442433258_573507580_o

Queremos reforçar também o agradecimento pelo apoio das Irmãs Dominicanas de Santa Catarina de Sena, que acolheram os peregrinos no Colégio Nossa Sra. do Carmo, em Borda da Mata (MG), aos Frades Dominicanos e a Paróquia Santo Antônio, de Curitiba (PR), pela parceria de sempre e a Sra. Vicentina, leiga dominicana de São Paulo que aposta na juventude, nossos sinceros agradecimentos.

Saboreie, agora, a partilha:

“A Caminhada Orante é uma das atividades proporcionadas pelo MJD-BR que mais aprecio! E por quê? Bem, de fato é uma atividade que une por si só um contato íntimo com Deus e com todas as Suas manifestações, seja por meio da natureza ou pelos irmãos, tanto os de caminhada quanto os que aparecem na estrada pra nos acolher, ensinar ou simplesmente acenar o braço e dizer ‘Deus te acompanhe!…’.

Este ano, a Caminhada Orante teve um toque especial. Na verdade, lembro de ter dito isto também ano passado…a cada ano, busco viver tão intensamente esta atividade que o sabor da última é sempre o mais marcante. Mas, de fato, o itinerário do caminho foi muito providencial…Inconfidentes-Consolação, ambos situados no sul de Minas Gerais.

Partimos de Inconfidentes – nome sugestivo de revolução, mudança, transformação. E era por esta experiência de mudança que eu estava (e continuo) precisando viver – rumo à nossa primeira parada em Borda da Mata. Fomos calorosamente acolhidos pelas irmãs dominicanas de Santa Catarina de Sena e pernoitamos no Colégio Nossa Senhora do Carmo no dia em que celebramos o Corpo de Cristo, que nos fortalece internamente e nos une enquanto irmãos. Foi o momento de ‘desamarrarmos nossas sandálias, descansarmos e comungarmos para renovarmos nossa esperança no Senhor’.

Saímos de Borda da Mata rumo à segunda parada. Dezesseis quilômetros de aclives e declives até Tocos de Moji. Pela manhã (e assim foi nos quatro dias de caminhada) fomos motivados pela oração do rosário e convidados a refletirmos sobre as pedras em nosso caminho que dificultam cativarmos uma relação de pleno amor e serviço a Deus. Algumas dificuldades encontramos pelo caminho, cansaço, dores…mas a cada dificuldade surgiam, pelo menos, cem outros presentes de Deus: a paisagem, os animais, os morangos, o céu azul, o bate papo com os amigos, as risadas, as brincadeiras, as tubaínas (quem reclama paga uma e tem gente que reclamou e ainda não pagou!), a criação de laços, a preocupação com o outro, a acolhida nas casas, a água potável, o parto de um bezerro, as massagens gentilmente fornecidas, a partilha do alimento, o sorriso dos conterrâneos, o momento da chegada, o contato com outros peregrinos…nossa! Deus se manifestou de tantas maneiras que, se for escrever todas aqui, não finalizo este escrito.

Em nosso terceiro dia, o mais difícil de todos devido à altitude, chegamos à aconchegante cidade de Estiva… foi bom chegar, mas caminhar até lá foi ainda melhor!

Pouco a pouco, Deus nos guiava até Consolação…não somente ao sítio geográfico mas, a cada dia, Deus consolava ainda mais meu coração inconfidente. Pedi a Ele, então, que não fosse concedida somente à mim esta graça, mas à todos os irmãos que passam por momentos de desolação.

E, com o auxílio de Deus, finalmente chegamos à Consolação, no quarto dia. Tendo a certeza de que chegaríamos, chegamos, pois de fato Ele estava conosco.

Este itinerário também se dá em nossa vida. Deus nos guia à consolação a medida que nos deixamos conduzir por Ele. A oração, confiança, vida comum e abertura de coração são os cajados que nos auxiliam a chegar até ela.”

Mariana Bongiorno, vice-coordenadora nacional e integrante do #MJDSãoPaulo

10479298_676533405766595_841385602_o

 

“A Caminhada Orante de 2014 teve um gostinho especial para mim, sobretudo por ser minha primeira. Não conseguia rezar de jeito nenhum, e isso me angustiava… Eu pensava: ́ ́Poxa estou na Caminhada Orante e não consigo rezar. ́ ́. Tudo era motivo para perder meu foco, não via a hora dos únicos 15 minutos de silencio de uma caminhada de 5 horas acabar. No primeiro dia o caminho foi leve, era o momento perfeito para rezar, mas a euforia não deixou. No segundo dia eu tive um contato maior com Deus e me senti chamado a rezar com um companheiro, através de uma conversa, e deu muito certo e a minha ânsia ia passando. No terceiro eu tive um breve momento de silencio, e me senti chamado a contemplar, tudo que Deus fez por nós, e reconhecer o quão pequeno e insignificante é o homem no meio daquela natureza toda e uma frase que me marcou desse dia foi a que diz que Deus não precisa de nós, nós precisamos de Deus, e esse mesmo Deus criou tudo isso como uma perfeita engrenagem para nós seres imperfeitos que cometemos heresias e pecamos. No último dia me senti chamado a ajudar as pessoas como uma missão, precisamos amar uns aos outros de forma plena pois ele também é criatura, assim como eu defendo os animais tenho a consciência de que devemos defender as minorias e os marginalizados pois eles também são criaturas de Deus.

No fim percebi que minhas orações foram intensas porem não extensas, e realmente me senti amado por Deus e precisava plenamente de uma relação mais intima com Deus, como pai e filho, como um amigo que caminha com outro. E os sentimentos que me ficaram foi de cumplicidade, amizade e amor.”

Erick Vinícius Borges, integrante do #MJDSãoPaulo

“Viajar é sempre legal, com gente querida que não vemos faz tempo é melhor ainda, principalmente quando temos tempo para partilhar a vida e colocar a conversa em dia, rezar junto, caminhar junto, subir morros junto. Enfim, a caminhada orante é um evento que junta muitos elementos que nos fazem pessoas melhores e nos une como grupo. Essa foi a segunda vez que participo e foi ótimo, é um evento que tem a cara do MJD!”

Victor Alarcon, promotor nacional de formação e integrante do #MJDSãoPaulo

10370512_676533459099923_274401467_n

“2014 foi o meu quarto ano como peregrina e a experiência nunca é a mesma. E não me refiro somente por causa da paisagem ou das pessoas, mas ao sentimento que senti e vivenciei. Porque nós, seres humanos, estamos em constante evolução e isso se reflete durante o caminho da fé. Há momentos de partilha, de superação, de oração. Mas o que ainda me surpreende e me encanta é como a diferença de idade, de objetivos de vida e de experiência anteriores se tornam insignificantes frente ao despojamento e fé que motivam os peregrinos.”
Paula Daniela Alves, promotora da de formação do grupo MJD São Vicente e integrante do #MJDSãoPaulo
“Rezar se enxergando perante Deus. Uma bela caminha com todo o contato com o mundo rural e com Deus. Me disseram que não era um dos trechos mais cansativos, porém, em minha opinião, bem belo. A vida em comum, o despojamento e a oração. Marcos de uma caminhada que me fez refletir sobre minha vida. Subidas árduas e ingrimes nos acompanharam, mas são elas que marcam, são elas que lembramos. Foi uma bela primeira experiência de caminhada, espero poder ter outras melhores ainda.”
Gabriel Lanzillotta,  integrante do #MJDSãoPaulo
10505924_676533435766592_1248108459_o

“Essa caminhada orante 2014 foi, a maior experiência que pude desfrutar na minha vida, e posso garantir, pois tive um contato muito forte e próximo com Deus, diante das dificuldades, durante as orações e no contato com os demais peregrinos. Durante os quatro dias da caminhada, foi algo muito maravilhoso estar próximo dos demais peregrinos e vivenciar esses dias, conhecer mais a minha fé, fortalecê-la a cada passo e analisar os meus limites e minha força de vontade diante de cada dificuldade que surgiu, dor, cansaço, sede, fome ou necessidade física que necessitei.

Em muitos momentos me sentir mais próximo a Deus, a cada oração que fiz, me senti mais próximo Dele, da minha família, dos meus amigos, colegas de trabalho e de pessoas que coloquei em minhas orações devido a importância que elas tem em minha vida e mesmo distante delas, me senti mais próximo como se estivessem caminhando comigo. Mesmo com qualquer problema que ocorria, pude me ver mais familiarizado com Ele e, fosse na oração, ou, a cada passada que dava em frente pude desfrutar da sua companhia.

O local em que caminhamos foi de grande agrado, pois pudemos contemplar a belíssima paisagem que o trajeto nos disponibilizou. O contato com a natureza foi algo que me marcou muito, sempre gostei muito de estar com a natureza e até desejo essa contato maior e mais ânimo para que reviva mais vezes essas experiência e algumas similares.

Houve também uma maior proximidade com os peregrinos do MJD ou não, durante o trajeto ou na hora em que chegávamos nas cidades, reparava nas expressões de todos com uma grande felicidade, por ter alcançado um desejo que de todos era comum, mas que cada um sentia de um modo diferente. Aprendi um pouco com cada pessoa que fui conhecendo ao longo do caminho e pude desfrutar de várias experiências e perceber que cada um tem um ponto de vista para apresentar do seu modo de ver.

Essa caminhada deixou marcar profundas em meu coração e que levarei por toda a minha vida, a cada passo, cada oração, cada Ave Maria, Pai Nosso que eu dei no trecho.”

Rafael Devoyno Arraes, promotor de missão e caridade do grupo MJD Curitiba e  integrante do #MJDCurtitiba

10477325_676533429099926_200312704_n

 

“A caminhada foi uma experiência espetacular. Não só pelas paisagens que pude aproveitar muito melhor que ano passado, mas também pela convivência fraterna com todos. Cuidar dos outros e ser cuidada por eles me faz mais humana e torna meu olhar mais sensível à dor do outro. Também ganhamos muitos morangos pelo caminho e como estavam doces!! Diante de tantas subidas e descidas, momentos de oração, partilha, reflexão, dificuldade e boas risadas, tudo valeu a pena, teve seu valor e levo comigo como aprendizado para continuar firme e forte caminhando…”

Lidiane Harue Fugimoto, secretaria nacional e integrante do #MJDCurtitiba

“A caminhada orante deste ano foi, além de um teste para nossa fé e nosso corpo, uma experiência única em união com Deus e com novos e antigos amigos, e que nos ajudou a conhecermos melhor a nós mesmos.”

Giancarlo Mateus, integrante do #MJDCurtitiba

 

“Quando decidi participar da caminhada não tinha – Quando decidi participar da caminhada não tinha muita certeza se meu corpo aguentaria , mas mesmo assim não quis me negar de viver tal experiencia, e não me arrependo de forma alguma!! Andar, contemplar paisagens tao belas, conhecer as pessoas com as quais eu estava caminhando, conhecer novos lugares, nada supera essa experiencia . Eu aprendi a valorizar as coisas,e que nem tudo o que eu acredito que preciso no meu dia-a-dia é . necessário. Comprar morangos na estrada e eles serem os melhores morangos da minha vida , pela primeira vez realmente degustar cada mordida de um alimento, isso é impagável . Saber que o peso em minhas costas é minha escolha,e tentar ao máximo não pensar na dor, ou em qualquer incômodo decorrente a andar . Durante esses quatro dias encontrei o que me afasta de Deus,mas não consegui encontrado… Posso dizer que foi uma experiência inesquecível!!”

Isabella Bachelli, integrante do #MJDSãoPaulo

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s